Como chegar ao topo da carreira antes dos 35 anos

Paulo Kakinoff chegou. Ele preside a Audi e diz que não há atalhos para subir na profissão, “é preciso ter paixão pelo que faz”

Arthur Lopez, iG São Paulo | 26/05/2011 05:30

Compartilhar:

O executivo Paulo Sérgio  chegou cedo à Volkswagen. Aos 18 anos, foi contratado como estagiário recém-formado em um curso técnico no ensino médio. Sua carreira continuou meteórica ao assumir aos 23 anos seu primeiro cargo executivo na montadora, como supervisor regional de vendas de São Paulo.

Foto: Divulgação

Paulo Sérgio Kanikoff é presidente da Audi no Brasil e começou como estagiário da Volkswagen

E seguiu assim, a cada um ano e meio com uma nova promoção, chegando a diretor executivo de marketing e vendas do Grupo Volkswagen aos 29 anos. Foi então para a matriz, na Alemanha, e logo, aos 34 anos, veio o convite para presidir a Audi do Brasil. Durante toda essa trajetória, ele destaca sua paixão por carros como condição primeira para ser aprovado no estágio ou traine da Volkswagen, e também como fator essencial de seu sucesso profissional na indústria automobilística. Segundo ele, existe na cabeça de quem está começando uma verdadeira armadilha que é a tentativa de fazer carreira a qualquer custo ou procurar atalhos para subir na empresa. Ao iG Estágio e Trainee, Kakinoff contou como foi sua ascensão nessa área e o que valoriza nos universitários e recém-formados candidatos a uma vaga de trabalho. Veja também as dicas de sucesso do publicitário campeão no Festival de Cannes e como a presidente da UPS brilhou em um setor essencialmente masculino.

iG – Você fez uma carreira muito rápida e decidida. Qual a certeza que você tinha quando era estagiário na Volkswagen aos 18 ano de idade?
Paulo Sérgio Kakinoff - Naquela época a única certeza era que eu faria carreira na industria automobilística. Jamais pensei que iria chegar a esta posição (presidente da Audi). Nem imagina e nem tinha a pretensão. Com certeza do que queria veio a dedicação ao trabalho.

iG – E qual a receita para uma carreira de sucesso como a sua?
Kakinoff – Receita eu não sei, mas posso falar com muita clareza sobre quais o fatores foram fundamentais para minha carreira. Muito cedo mesmo já identifiquei aquilo que eu queria, que eu era apaixonado. Era meu desejo de aprender e me desenvolver na área automobilística. Essa combinação de trabalhar em uma área que realmente eu gosto com um desejo autêntico de me desenvolver cada vez mais. Para mim, nos finais de semana, ler uma revista ou um livro sobre automóveis está longe de ser um trabalho. De folga quase sempre estou envolvido com alguma coisa relacionada a carro. Falar de automóvel para mim é um lazer. Não me lembro de nenhum dias nesses 18 anos na indústria automobilística que eu levantei de manhã e disse ´puxa hoje tenho de ir trabalhar´. Muito cedo tive essa certeza e me dediquei de verdade a essa paixão.

iG – É o que mais você diz para quem está começando?
Kakinoff – Diria ainda para não perder tempo com fórmulas de atalho de qualquer natureza para ter uma carreira de sucesso. Não conheço nada que possa impulsionar uma carreira que não seja essa combinação de gostar do que faz e desejo de se desenvolver. Não fique preocupado com manuais, receitas e planos de como chegar lá, e realmente tenha uma dedicação legitima e real de se desenvolver em uma área que você gosta.

iG - Vale a pena fazer um estágio?
Kakinoff - Claro, hoje de 40% a 50% da facilidade que tenho para realizar minhas tarefas se devem à formação que tive no estágio. Minha dica ao estudante é pegue a primeira chance de aliar trabalho com estudo e faça estágio.

iG – Como você contrata um estagiário e trainee? O que você busca nos candidatos?
Kakinoff – Penso que o que a gente aprende em casa, os princípios e valores tem igual ou maior peso do que a bagagem acadêmica e a qualidade da formação escolar. No ambiente profissional, tem verdadeiras máquinas de eficiência, mas que não são bons exemplos de transparência e de trabalho de verdade que se deve dedicar a um time e a uma equipe. Isso é fundamental. Trabalhamos com outras pessoas, e é importante que haja confiança plena. Carreira a qualquer custo é um comportamento nefasto e prejudicial até para a empresa. Pode representar um sucesso no pequeno prazo, mas muito rapidamente vai ser percebida sua real competência e capacidade. Portanto, não pense nos atalhos e sim em obter a máxima performance na sua tarefa agora.

Faça o caminho de Kakinoff, comece com um estágio na Volkswagen.

 

    Notícias Relacionadas


    Ver de novo