Cinco mitos e verdades na seleção de emprego

Expert em recrutamento aponta o que é lenda e o que se deve levar em conta sobre o que dizem das dinâmicas de grupo

iG São Paulo | 27/06/2011 05:38

Texto:
enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios

Você foi chamado para seguir adiante em um processo de seleção de estágio ou trainee e sempre vem algum amigo ou parente orientar sobre como deve ser sua postura nas etapas de dinâmica de grupo e entrevista. Já os recrutadores dizem que você deve ser você mesmo, sem maquiar a forma de falar e de participar das atividades propostas. Todos querem ajudar, mas o candidato acaba ficando com mais dúvidas. Deve falar primeiro? Pode cruzar os braços? Mesmo sendo tímido, deve parecer mais extrovertido? O iG Estágio e Trainee, produzido pela Medialogue, falou com a expert em processos de seleção, a consultora Marilda Leite, especialista da Cia. de Talentos, para saber o que é verdade e o que não passa de mito nesses recrutamentos. Apesar de dizer que são muitas as confusões nesse campo, ela listou as cinco mais comuns. Conheça também o que as empresas mais procuram nos candidatos e veja onde você se encaixa.

Foto: Divulgação Ampliar

Dúvidas sobre o processo de seleção geram as lendas sobre o que está sendo avaliados pelos selecionadores

Veja os cinco mitos:

1. É importante ser o primeiro a falar em uma apresentação pessoal.
“Não é. Todo mundo vai falar, cada um a seu tempo, e todos serão ouvidos pelos selecionadores. Não há vantagem para quem fala primeiro ou por último.”

2. É melhor ser extrovertido e falar mais do que parecer tímido.
“Lógico que é importante você falar em uma dinâmica de grupo, ou numa entrevista. Isso possibilita a avaliação. Mas falar demais, ou falar coisas sem conteúdo não vão ajudar o candidato. Vale muito mais a pena falar em alguns momentos importantes. Muitas vezes o candidato fala apenas uma vez, mas dá uma ideia que ajuda a resolver a questão proposta. Vale mais do que aquele que falou o tempo todo coisas que não agregaram nada.”

3. Existe o perfil certo ou errado.
“Não existe isso, graças a Deus porque senão tinha gente que nunca ia encontrar emprego. Cada empresa tem sim o seu estilo, seu perfil. Dentro da mesma empresa, é comum ter uma vaga que exige um perfil mais comunicativo e outras com um perfil mais analítico.”

4. Experiência profissional anterior é uma grande vantagem.
“Para nós da Cia. de Talentos, nos processos de estágio e trianee que realizamos, a experiência profisional não conta, ou seja, não é avaliada durante o processo seletivo. Isso pode ser um diferencial lá na frente na entrevista final com o gestor, que pode falar ‘esse tem uma experiência que achei legal, então vamos aprová-lo’. Pode ser, dependendo da experiência, um critério de desempate, mas não é fundamental.”

5. Postura corporal fala sobre você.
“Isso de ficar de braço ou pernas cruzadas não é avaliado. O que o corpo fala muito é se você está sentado quase deitado na cadeira. Esse jeito mais desleixado diz para a gente que você pode não estar interessado, com sono, ou não está ali presente. Já uma postura mais ereta, olhando para a pessoa, prestando atenção, isso sim fala de forma positiva.”

Fique atento ao que é verdade:

1. Estar muito bem informado sobre a empresa.
“Quando o selecionador percebe que o candidato estudou, conhece a empresa, seus valores, o mercado, isso é sim um diferencial e está sendo avaliado.”

2. Atenção ao que o recrutador diz.
“Muitas vezes o candidato não presta atenção a0o que é pedido e não sabe direito o que tem de fazer e isso prejudica. Ele vai receber nova orientação, mas a avaliação é prejudicada.”

3. Cuidado especial para preencher cadastro online.
Quem erra na inscrição pode nunca ser chamado. Se o candidato, por exemplo, irá concluir o curso em 2011 e colocar 2021, é um erro mínimo, mas a seleção é automáticas e ele ficará de fora.”

4. Redes sociais são avaliadas.
“Isso mesmo. O candidato deve lembrar que toda a mídia usada pelos estudantes para se comunicar também é usada pela empresa e pelas consultorias para conhecer mais os candidatos, principalmente as redes sociais. A internet é um local público e todos têm acesso a suas brincadeiras e posturas inadequadas. Tomar cuidado com o que publica é recomendável. Minha dica é nunca colocar na mídia social uma coisa que não falaria publicamente.”

5. Linguagem conta.
“A forma de falar está sendo avaliada sim. O candidato deve ter cuidado com o excesso de gírias. Isso costuma não ser bem avaliado, em uma entrevista então é inadequado.”

Veja também algumas dicas sobre como responder perguntas difíceis na entrevista.

 

 

Texto:
enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG

Ver de novo